Fórum para discussão de todo o universo Geek: Seriados, filmes, quadrinhos, livros, games e muito mais.


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Geral » Museu dos usuários » Fanfics e histórias » 

[FanFic] Demon Slayer

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 [FanFic] Demon Slayer em Qui Mar 24 2016, 23:34

LJ

Demon Slayer: Capítulo 1



    O ano... ninguém sabia, não estavam mais preocupados com o tempo, na verdade temiam ele, aguardavam o juízo final. O arrebatamento já havia ocorrido há dezenas de décadas, poucas pessoas foram consideradas dignas de entrar no Reino dos Céus, sobraram na Terra, esperando os mil anos da profecia bíblica do Apocalipse, onde Jesus com todo seu poder iria exterminar os ímpios e colocar na Terra a Nova Jerusalém, os indignos. Os que foram deixados para trás sofreram com terremotos, meteoros, tsunamis, guerras e terríveis pestes como castigos, bilhões de pessoas preferiram morrer ao esperar sofrer com a Ira de Deus, mesmo que tivessem sidas ressuscitadas anteriormente, os demônios vieram para a Terra e começaram a governa-la até a sua aniquilação total, dos meios de comunicação, apenas usavam a TV para fazer alguns pronunciamentos e mostrar shows de horrores, internet e rádio estavam desativados, o céu tinha uma cor avermelhada, era meio escuro e raramente ficava claro, o sol ficava totalmente coberto por nuvens e a Lua, quando aparecia, tinha um tom vermelho de sangue, deixando o clima noturno muito mais tenso do que o normal, grandes porções de mares e rios secaram e florestas foram dizimadas, vários desertos surgiram, a comida era escassa e o canibalismo era frequente, algumas pragas ainda atacavam as pessoas, surtos de raiva eram normais e o tratamento estava disponível apenas para aqueles que tinham algum poder social, todos viviam sem esperança, as taxas de suicídios eram altíssimas, sobraram poucas pessoas e praticamente todas elas eram más e viviam ferrando a vida de uns dos outros, também faziam pactos com demônios poderosos ganhando assim muitos poderes e deixando cada vez mais eles mais fortes, aparentemente as coisas iriam seguir assim até o juízo final.
     A cidade de Stuttgart - Alemanha estava toda destruída, prédios totalmente despedaçados, corpos em avançado estado de decomposição nas ruas liberavam um cheiro horrível no ar que atraia moscas e alguns abutres, algumas pessoas ficavam em casa com medo e enquanto a maioria ficava na rua aproveitando enquanto podiam, a prostituição e roubos eram normais, um demônio comandava a cidade e as gangues locais o serviam, causando pânico e desordem na cidade. Num bar um homem de cabelos e barba longos estava sentado no balcão tomando um copo de uísque, usava um casaco de couro bem conservado e calça jeans preta com alguns rasgos no joelho, um homem com pele meio acinzentada e olhos bem azuis entrou no bar e foi ao lado dele, estava com um sobretudo preto com um capuz que escondia boa parte de seu rosto, sentou-se e disse ao barman:
   - Me vê um copo de uísque e dê uma dose para ele aqui também.
   - Obrigado.
   - Então...qual é seu nome??
   - Krein. Josef Krein.
   - Então, sr. Krein, me diga o que faz num bar desses numa cidade fodida que nem essa?
   - O que você acha? Estou esperando a aniquilação total e to tomando uma dose.
   - Eu quis dizer, porque você não foi arrebatado? Não acreditava em Deus?
   - Acredito. Mas isso é uma longa história.
   - Tenho todo tempo do mundo... Ei amigo,- se dirigindo ao barman-  me vê a garrafa toda.
   - Se assim deseja... Por onde começar... A muito tempo, quando a Terra não era esse caos todo, eu tinha uma família, acreditava em Deus e era muito fiel a Ele, sempre ajudava os outros e nunca fiz nada de ruim a ninguém, só que em um dia numa viagem de carro, houve um acidente e minha esposa e dois filhos morreram, não conseguia acreditar que esse...Deus de “amor” seria capaz de fazer uma coisa dessas, comecei a beber e passei a odiar e amaldiçoar Ele todos os santos dias de minha vida! A única coisa que eu quero é vingança, por isso quero viver até o dia da aniquilação para ir até seu trono de merda e espanca-lo até Ele pedir perdão pelo que fez de ruim comigo!
Krein toma um gole de uísque.
   O homem da uma longa gargalhada dando alguns socos no balcão.
   - Qual é a graça disso?
   - E se eu te dissesse que não foi Deus que causou a morte de sua família?      Se eu te dissesse que um demônio que foi totalmente culpado pela sua desgraça?
   - O que quer dizer com...
   Krein foi interrompido com a porta do bar sendo arrombada por quatro sujeitos, eram de gangues locais e estavam ali para arrecadar os impostos. Um deles, com um moicano, camisa regata e uma corrente no pescoço, chegou perto de Krein e disse:
   - Gostei desse teu casaco, tire ele agora, vou ficar com ele.
   Krein manteve-se imóvel e quieto.
   - Ta surdo mané? Eu mandei você tirar a porra do casaco!
   Krein continuava quieto.
   O homem irritado da um tapa na nuca de Krein e diz:
   - Tira logo essa merda de casaco e entregue para mim, ou vou acabar com sua raça!
   Krein toma seu resto de uísque, coloca-o no balcão, enquanto os quatro impacientes observavam sua calma ao levantar, ele faz um movimento ameaçando tirar o casaco, mas antes que o cobrador de impostos pudesse reagir, ele desfere um cruzado com sua potente mão direita, que fez com que todos se assustassem ao apenas ver o cobrador indo de encontro ao chão desnorteado. Os outros três acompanhantes imediatamente partem para cima do agressor num ato que Krein não esperava. Dois deles passaram um de cada lado, enquanto o último, mais forte do que os outros, o agarrou-lhe e levantou-lhe com o ombro jogando-o em direção da parede, logo atrás, enquanto os outros dois agressores já esperavam para segurar seus braços. O balconista, neste momento reage à ação dizendo:
   - Ei! Inordinatio me assegurou a segurança do meu bar! Levem essa briga para fora daqui!
   Ouvindo isso, os homens, tensos, levam Krein a um beco próximo. Onde começaram a bater nele.
   - Ta gostando disso seu filho da puta?! É divertido bater nos outros né seu desgraçado?!
   Krein leva diversos socos e pontapés no seu corpo e vai começando a perder a consciência, quando uma voz interrompe os agressores:
   - Ei otários! Soltem ele e deixarei que vocês saiam daqui vivos e sem se machucar.
Era o homem do bar com o capuz, tinha um sorriso sarcástico no rosto e mantinha uma postura relaxada.
   - Qual é a tua seu retardado? Ta querendo apanhar junto com esse imbecil aqui?
   - Se for pra mais algum de nós apanhar junto com ele, vai ser um de vocês, porque eu me garanto aqui. - Disse num tom irônico.
   - Vamos ver então...
Os três partem para cima do homem misterioso, todos de uma vez, um dos homens dos quais, na tentativa de acertar um soco, tropeça com toda a fúria e cai dando uma cambalhota ao acertar o simples vácuo que o ‘homem misterioso’ deixou, levantando no mesmo momento, pronto para outra tentativa, mas quando olhou para trás, olhou diretamente para seus companheiros, não entendendo o que havia acontecido. Quando os outros dois homens olham para trás, o homem diz ironicamente:
   - Vamos lá, não vão me espancar não? Tenho mais o que fazer...
Os três partem novamente para cima do homem. O primeiro desfere um soco, o qual o homem facilmente segura com a mão direita, e torce o braço do agressor com facilidade e com um sorriso irônico no rosto. O segundo dá um chute frontal no homem e cai para trás com a própria força usada, e o homem nem se mexeu. O terceiro parou pasmo diante do sujeito. Quando acaba a ação dos agressores, o homem diz:
   - Agora é minha vez.
Ele quebra o braço do homem que ele estava segurando com a mão direita, o pega com as mãos no ombro e joga-o com facilidade na parede do seu lado esquerdo. Quando o segundo tenta correr, o homem pega-o pelo ombro e dá uma cotovelada em sua nuca, atordoando-o no mesmo instante. Quando o homem cai de joelhos, sem forças por causa do golpe sofrido, o homem agarra a cabeça dele e com o simples movimento vira a cabeça do homem com facilidade. O terceiro homem ouvindo o estalo exalado pelo pescoço do amigo cai de joelhos:
   - VOCÊ é um demônio?!!
   - Reposta correta!
   - Po-po-por favor...te-tenha misericórdia!!
O demônio chega perto dele, sorri e fala:
   - Idiota, tenho cara de ser misericordioso? Misericordioso é aquele cara que te deixou nesse mundo e me deixou com você.
E enfia a mão no peito do agressor, tirando-a com o coração do mesmo na mão.
   Krein observava tudo aquilo meio atordoado com as pancadas, mas ainda consciente e muito surpreso, o demônio caminha em sua direção e Krein ouve-o dizer:
   - Levante-se Krein...não quer sua vingança? Vou treiná-lo para ser capaz de matar demônios e vou te levar ao demônio responsável pela morte de sua família.
   Krein com um olhar de quem não está entendendo nada, encara o demônio e logo em seguida desmaia.

Ver perfil do usuário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum